a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

28 de outubro de 2009

A PODRIDÃO DO SISTEMA (PARTE 1)

Image and video hosting by TinyPic


Segundo um estudo feito pela DECO, existem em Portugal 40 MIL pessoas que não têm rendimentos suficientes para comer uma única refeição diariamente, dito por outras palavras, passam fome, ou, não ingerem alimentos de espécie alguma a não ser recorrer aos caixotes do (nosso) lixo.

Sem desprimor para a dita instituição, tenho muitas dúvidas acerca daqueles números.
Ou seja:
O número de pessoas sem qualquer rendimento é bastante superior aquele e o número de pessoas com “rendimentos” abaixo dos 220,00€/mês (7,33€/dia) são cerca de 150 mil, ora, se àqueles juntarmos estes, o número sobe bastante, apesar destes, com tal pecúlio, poderem pelo menos ingerir diariamente uma carcaça e/ou um prato de sopa de água com algum sal.
Por conseguinte, Portugal é uma sociedade de gritantes desigualdades, muito mais acentuadas do que os “estudiosos” nos querem impingir.
Meus amigos:
Como é possível que um país que apresenta estes números assustadores, caminhe a passos larguíssimos para os 650 mil desempregados, tenha cerca de 200 mil precários, 1 milhão de pensionistas com 242,00€/mês, pense em obras faraónicas, megalomanias tirânicas, ou, mais grave, endividar o Povo durante as próximas três ou quatro gerações, sim, como é possível, darmos guarida a gente deste calibre.
(continua)


1 comentário:

Marreta disse...

É possível, porque quem gere os nossos destinos (com a conivência do Povo, diga-se) pensa assim, porque não tem sensibilidade social nenhuma e só pensa em passar a imagem para o exterior de um país desenvolvido e do 1º mundo.
Porque a maioria deles está no poleiro apenas para chuparem e ganharem "estrelato" como via para atingirem cargos públicos de gestão onde o manjar não falta.

Saudações do Marreta.