a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

23 de agosto de 2013

INCÊNDIOS, QUEM PERDE E QUEM LUCRA


Sem querer entrar pela teoria da conspiração, longe de mim tal propósito, pergunto: Quem lucra e quem perde com os incêndios florestais.

Começo pela segunda questão - Quem perde? Perdemos TODOS.

Quem lucra, lá vem a teoria da conspiração. -  Lucram variadíssimos interesses, desde alguns grandes proprietários que desejam os terrenos desmatados para plantar essa espécie invasora de lucro imediato que se chama eucalipto que tudo seca à sua volta, lucram os novos proprietários de pinhal, herdados de seus pais e/ou avós mas que nunca mais vêm dinheiro e assim torna-se mais fácil plantar eucalipto, lucram as empresas de aluguer de aeronaves que são pagos à hora e bem pagos, são as empresas que fornecem/fabricam os sobresselentes para o desgastado e destruído material dos bombeiros durante a "campanha", até os importadores de veículos para o combate, muitos deles destruídos lucram. 

Se a maioria dos incêndios é de origem criminosa (ideia generalizada por todos os bombeiros e população), se muitos o são por razões de vingança, inveja, partilhas de água, etc., os restantes, e são bastantes, são-no por interesses comerciais.       

Referir que a actual  ministra da agricultura Assunção Cristas, vai propor uma lei que liberaliza a plantação do eucalipto em todo o território, a mesma está a ser contestada por todas as organizações ambientalistas, a lei prevê, entre outras coisas, a plantação da referida espécie em zonas ardidas onde antes estavam outras, dizer que a lei ainda em vigor proíbe tal, pois se ardeu pinheiro, a área tem de ser reflorestada com a mesma espécie. 

Daí, a minha teoria da conspiração. Estarei certo ou errado, pouco interessa, o certo, certo é que morrem pessoas e são destruídos bens de gente que nada tem a ver com isto, são os chamados efeitos colaterais. 

Aos bombeiros, quais heróis que de forma abnegada, com risco da própria vida, lá vão lutando contra um "inimigo" cruel, a minha calorosa homenagem.

Sem comentários: