a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

29 de abril de 2014

A HISTÓRIA QUE (AINDA) FALTA CONTAR


Todos sabemos que o regime fascista sobrevivia apoiado em três organismos - a PIDE/DGS, a LEGIÃO e a CENSURA.
Agora que acabamos de comemorar os quarenta anos de LIBERDADE, seria bom que o POVO soubesse a VERDADE. 

Que aconteceu aos cerca de 3.600 agente e bufos? Que aconteceu aos cerca de 5000 legionários? Sabemos que alguns foram presos, outros fugiram e que mais tarde regressaram. Dos primeiros quantos foram julgados e cumpriram prisão efectiva? Dos segundos quem lhes seguiu o rasto e os trouxeram à barra do tribunal? Onde estão os dossiers dessas detenções e julgamentos? Que aconteceu aos milhares (milhões) de fichas informativas de cidadãos em posse da PIDE/DGS? 
Sabemos que a maçonaria tem em seu poder vários milhares desses documentos, onde estão? Porque razão não são tornados públicos? Quem quer esconder a trágica história da PIDE/DGS? Mais, quem quer que os portugueses não saibam o que aconteceu a esses assassinos? 

O que sabemos é muito pouco, sabendo-se porém que o Cavaco então primeiro ministro (1992) e por "serviços relevantes e excepcionais prestados ao país" atribui a dois funestos PIDES, uma pensão vitalícia.

Passados quarenta anos sobre o 25 de Abril, ainda está muito (tudo) por contar em relação ao dossier PIDE/DGS/LEGIÃO. 
Quem quer esconder a VERDADE?

1 comentário:

Anónimo disse...

sou a favor de se saber tudo o que sucedeu aos pides, aos legionarios e aos bufos. sou igualmente a favor de saber o que sucedeu aos arquivos da pide, aos canalhas que a seguir ao 25A ordenaram prisao sem julgamento a dezenas de porugueses, mandados de captura em branco, bombas (especialmente a de s. manços aquela em que o cagarolas do oscar disse que tinha sido um acidente). sou a favor de julgar e enforcar todos estes fdp: os de antes do 25A e os de depois do 25A até ao 25 de novembro. depois podemos continuar a julgar os mais de 62000 chulos no activo que ocupam cargos politicos e que mais nao fazem é roubar.