a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista
a desobediência é a verdadeira base da liberdade, os obedientes são necessariamente escravos

25 de setembro de 2008

DESEMPREGO, ONDE ESTARÃO OS CULPADOS

Image and video hosting by TinyPic

Ultimamente, os grandes “crânios” do empresariado português coadjuvado pela elite política mais conservadora, têm-se empenhado em ditar o nosso presente e futuro. Fazem-no com arrogância, ignorância e desprezo pelo povo.
Para eles somos atrasados, medíocres e ainda nos encontramos no tempo da canga fascista de antanho.
Propostas arrogantes, como se o País fosse sua propriedade e os trabalhadores tivessem de regressar à condição de criados e de servos. Como se os salários tivessem de baixar ao limite da sobrevivência e fosse imprescindível destruir os serviços sociais e os direitos do trabalho.
Como se o Estado tivesse de ser desmantelado. Dizem que o Leste é que é bom, lá os salários são baixos, os impostos irrisórios, os trabalhadores disponíveis, os despedimentos fáceis. Países competitivos, dizem. Mais competitivos são, por exemplo, Marrocos, o Gana, ou o Haiti. Nestes países é mais fácil despedir um trabalhador do que cuspir para o lado e os salários são simbólicos. São nestes “paraísos competitivos” que as populações fogem e emigram mesmo arriscando a vida.
A direita portuguesa tem a cabeça suja e confusa. Os nossos empresários não percebem uma coisa simples. O problema de Portugal não está no Estado, nem nos trabalhadores. Está sim neles mesmos, numa elite que se julga excelente, mas que na realidade é primitiva, ignorante, saloia e incompetente. Uma elite que nunca se cumpriu historicamente como burguesia. Uma elite que não sabe o que é, menos ainda o que quer.Se dermos rédea solta a estes patrões e pessoal político, que lê o mundo pelos manuais de divulgação do neo-liberalismo mais tacanho, corremos o risco de o País deixar de ser um Estado de direito para ser um estado desgraçado, uma colónia do capitalismo internacional, um sítio mal frequentado. Reclamemos os nossos direitos de cidadania e expliquemos, sem arrogância, que eles são apenas os mais ignorantes de nós.

6 comentários:

CRN disse...

"Corremos o risco"?

A revolução é hoje!

Ana Camarra disse...

Ferroadas

Também acho que não corremos o risco, já o passámos.
Mas ainda há recuo possivél.
Esta luta de dia 1 de Outubro é mais uma.
E importante é esclarecer, mobilizar, acordar cabeças.
Quanto á Elite saloia e imcompetente, são isso mesmo.

Beijos

Anónimo disse...

-Viram o filho da p.t. do ministro a rir, quando o Jerónimo falava sobre as dificuldades dos portugueses ...!
-Grande f da p.......
a.ferreira

Kaotica disse...

Fez-me lembrar a anedota da hiena: um animal que come merda e só fode uma vez por ano e ri? Mas ri de quê? Desculpa Ferroadas mas hoje só me apetece asneirar.
Não corremos o risco, estamos atolados nesse governo yes, man! Como tu dizes, só no Campo Pequeno!

duarte disse...

ainda não fui ao diccionário procurar a palavra macro-économia...
mas pelo que tenho visto, ela comporta varios passos, o primeiro dos quais visa enfraquecer as pequenas economias,o segundo englobá-las no seu sistema e o terceiro explorá-las o mais possível...
estarei a dizer bem,ou estarei mais uma vez errado?

Mariazinha disse...

Esta malta estudou com goebbels e vive num país onde "somos" mansos...

Talvez lhes saia o tiro pela culatra.

Beijokas