a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

6 de junho de 2011

ESCRAVO, NUNCA


Mais de QUATRO MILHÕES (45%) dos eleitores (abstenção, brancos e nulos) não querem esta política, estes políticos, este sistema e esta democracia burguesa. O Cavaco ao afirmar que quem não vota não pode exigir nada dos governantes, está a passar um atestado de estupidez a todos os que livremente não votaram.

Em tempos afirmei, o direito de votar é igual ao direito de não votar, se uma pessoa não se revê em nenhum dos concorrentes vai votar em quem?  

Mas voltando às eleições de ontem, mais uma vez a abstenção + brancos + nulos, foram os vencedores, o que prova o total desprezo do Povo pela burguesia reinante, a partidarite e os falsos democratas.

Uma certeza tenho, a partir de hoje, nada vai ser como dantes, a direita salazarista/marcelista configurada no PSD/CDS, e apoiada pelo capital nacional e internacional, vai fazer-nos a vida num inferno, para esta gente, as medidas da ladroagem do FMI/BCE não chegam, querem mais. Os portugueses passarão a ser uns meros escravos nas suas mãos.

Estou expectante em relação ao que vai fazer a esquerda do sistema, agora com menos ênfase que outrora, (CDU vs BE passaram de 31 deputados para 24).  Será que continuarão a ser certinhos e direitinhos, ou pelo contrário, juntar-se-ão à restante esquerda, à esquerda do Rossio, ao M12M, aos movimentos de cidadãos, aos inconformados, aos  contestatários, etc., mas sem quererem impor as suas directrizes, enfim, aquela esquerda sem chefes, mandantes ou caciques. Cá espero para ver. Se calhar vou esperar sentado, mas...... 

Tempos difíceis nos esperam, a unidade, a determinação e a coragem são necessárias, tenho esperança que o Povo, nomeadamente o mais jovem, se saberá fazer ouvir.

Viva o Poder Popular

2 comentários:

Zé Marreta disse...

Nada de positivo nos espera no futuro. Se foi difícil correr com o Sócrates, com estes ainda vai ser mais difícil. Mas como se diz, o Povo é soberano, o Povo é quem mais ordena, e outras tais. Portanto...

Saudações do Zé Marreta.

ferroadas disse...

Como dizes o Povo é quem mais ordena, o Povo é soberano, mas é chegada a altura do poder instituído reflectir a sério sobre as causas da abstenção, 40% ou mais, é muita gente, são cerca de 4 (quatro) milhões de portugueses. Repara 4 milhões de tipos e tipas estão-se cagando para a política ou simplesmente estão descontentes com estes políticos, repara que nas primeiras eleições livres (assembleia constituinte) a abstenção foi de 8%!!!!!!.

O actual sistema e quem o apoia, não estão interessados em debater isto. Chegará o dia em que um governo seja eleito por menos de 50% dos eleitores inscritos, terá este governo legitimidade?

Abraço