a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

8 de dezembro de 2011

PORTUGAL, O RETROCESSO

Lisboa, 1943, fila para obtenção de senhas de racionamento

Com os cortes e consequentes aumentos (ROUBOS) em serviços básicos como a saúde, educação, transportes, para já não falar no ROUBO de parte do 13º mês este ano e na sua totalidade em 2012 e seguintes, assim como no subsídio de férias, os portugueses voltarão a conhecer dentro de pouco tempo os tenebrosos anos/40/50 onde imagens como esta eram frequentes.  

A direita conservadora e reaccionária que nos governa, tudo fará para que tal aconteça, pois, seguindo as palavras de um dos seus mentores, Cardeal Cerejeira, que dizia: " o povo para ser humilde tem de passar fome".  

Não tenhamos dúvidas, Cavaco, Macedo, Passos, Portas, Gaspar, Álvaro e quejandos, tudo farão para nos humilhar e vergar pela fome e miséria, só não vê quem não quer e o pior cego é aquele que não quer ver.

BASTA

Basta de tanta humilhação, não somos números, somos pessoas, em nada contribuímos para esta situação, por isso exigimos respeito. 

Descer a Avenida da Liberdade já não chega, temos de fazer mais e mais, começando pelo boicote à banca privada, bastando para tal, que retiremos o nosso dinheiro, cancelemos as contas e transferimos as mesmas para o Banco do Estado.

Seguindo um boicote às roupas de marca, na sua maioria produzidas em países exploradores de mão de obra escrava. Um exemplo: A bola Adidas que vai servir no Europeu de Futebol de 2012, é fabricada na Tailândia e/ou Vietname  por crianças que recebem UM DÓLAR por DIA, e são "propriedade" dos seus patrões, sendo na maioria das vezes os próprios pais a explora-los, ficando com o pecúlio recebido. 

Há muitas e variadas formas de combater o capitalismo, basta para tal que nos unamos e se todos fizermos isto, tornaríamos o Mundo melhor para TODOS.


Senha de racionamento para o pão

1 comentário:

Pata Negra disse...

Eu já faço isso tudo! E agora?! Como nos vamos organizar?! Desorganizadamente?!
Um abraço em tempos de cerrar fileiras