a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

26 de julho de 2012

CLARO QUE NÃO



"não estamos a exigir de demais aos portugueses"
Porque não pergunta aos desempregados, precários, pensionistas dos 252,00€ e esfomeados em geral?

“De cada vez que se falha, de cada vez que as coisas não resultam de modo a reforçar a confiança dos que nos emprestam dinheiro, as condições são mais difíceis e o preço a pagar é mais elevado”
Pensa assim porque está de barriga cheia, não se pode pagar uma dívida, negoceia-se a mesma, não se pode ter o povo a morrer à fome.

“Durante anos as pessoas perceberam que houve muito dinheiro. Hoje há falta de dinheiro”
Falta de dinheiro? Claro, nos bolsos dos de sempre. Do Soares dos Santos, Belmiro, Amorim, da banca em geral (ainda ontem o BPI apresentou 80 milhões de euros de lucro no primeiro semestre de 2012), estes de certeza que não pensam assim.

“Quando olhamos para trás sobram menos dúvidas, pois o caminho que fazíamos antes só nos conduzia à desgraça, esse não pode ser o nosso caminho, pois o país ficaria sem dinheiro para pagar reformas e salários"
Essa é a ladainha que nos enfiam todos os dias. Que fizeram ao dinheiro? Queimaram-no? Que se saiba não. O que aconteceu foi o capitalista especulador que o transferiu para paraísos-fiscais. Acabem com esse flagelo e verão que as coisas serão bem diferentes. 

"sabemos bem para onde vamos, vamos sair daqui melhor do que quando cá chegámos” 
Salazar não diria melhor, aliás esta frase foi proferida pelo assassino aquando da tomada de posse como Presidente do Concelho em 1932.

Pelo meio, está constantemente a dizer frases como: "não somos umas baratas tontas", "que se lixem as eleições",  "não encontram emprego cá, há sempre a possibilidade de emigrar", entre outras alarvidades afins.

Passos Coelho trata o seu povo como este seja atrasado mental, trata-o, tal como o ditador de S.Comba com desdém e sem o menor respeito, a sua ideologia de direita ulta-liberal faz com que olhe para nós com pena e tenta passar a imagem que temos de nos resignar à nossa pequenez e à fatalidade de sermos pobres, por isso temos de aceitar a caridade que nos dão sem pestanejar. 

São burros ao pensarem assim, as ditaduras não foram nem são eternas, os governos também não, sejam eles quais forem, os povos, ao longo dos milénios sempre souberam encontrar o seu destino, continuam na procura do melhor, o dia virá em que o mundo não mais terá exploração e fome, chegará mais cedo do que "eles" pensam.     

A humanidade só será livre quando o último capitalista for enforcado com as tripas do último burocrata.

2 comentários:

Pata Negra disse...

Se não o conseguimos matar, pelo menos, que o obriguemos a fugir esfolado!
Um abraço em tempo de luta

Zé Marreta disse...

Deste-lhes bem!
O problema aqui é que o povo recusa-se a mexer. EStá amorfo, e quando assim é, é difícil dar a volta. Em contrapartida, ainda agora a austeridade está a começar em Espanha, e todos os dias vemos grandes manifs por toda a Espanha, desde o homem do lixo, aos taxistas, passando por mineiros, funcionários público, etc, etc.
Aqui, tudo se resume a um ou outro desfile folclórico pela Avenida e pouco mais.

Saudações!