a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

1 de outubro de 2013

UNIÃO DAS ESQUERDAS, PRECISA-SE



Quem ganhou - PCP
Quem perdeu - PSD/CDS, PS e BE

E o PCP porquê - aumentou o número de votantes (539.694 para 552.506) e consequente percentagem (9,75% para 11,06%). E contra isto - batatas, é a realidade pura e dura. 

Perderam o PSD/CDS, PS e BE porquê - baixaram significativamente o número de votantes e respectiva percentagem, sendo o partido de Passos o mais significativo.

Quantos aos "independentes" (aumento de 226.11 para 344.566 votantes) a "coisa" deve-se e muito à BURRICE de PS e PSD (o caso de Matosinhos é sintomático), apesar de eu aplaudir este tipo de candidaturas, mas só quando eles são (mesmo) independentes e não como foi na maioria delas, onde tipos expulsos e/ou zangados com as estruturas partidárias a que pertenciam, decidiram "vingar-se", até a badalada eleição do Moreira no Porto teve e muito a máquina do CDS na retaguarda. 

Resta falar da ABSTENÇÃO - 47,40%, ou seja, 4.502.249 de cidadãos não votaram, ou abasteceram-se ou votaram branco ou nulo.  

Na minha modesta opinião o fenómeno deve-se em grande parte à falta de credibilidade da classe política e, apesar que neste caso (autárquicas) estarmos a eleger (em alguns casos)  o tipo/a que vemos quase todos os dias (o que não acontece nas eleições legislativas) aquela (falta de credibilidade) é penalizador para quem quer (realmente) fazer algo pela sua terra e pelos seus vizinhos. Isto independentemente de haver sempre eleitos e cada vez menos eleitores.    

Apesar de alguns cantarem vitória, a pergunta que se impõe é:
Que vai mudar? 
Que contributo efectivo tará para o Povo desempregado, esfomeado, precário, doente, marginalizado, etc., esta ou aquele "mudança" de poleiro.

Podem-me dizer - "foi um sinal ao governo e ao Cavaco que o povo quer mudança"
Mas que mudança, digo eu, se este governo "cair" o que provavelmente se lhe seguirá é igual? Continuará com a fome generalizada, a miséria, o desemprego, a precariedade e a austeridade. Quem possa pensar no contrário é (desculpem) louco (as manifestações de regozijo em torno de um ex. autarca PRESO na noite e madrugada de domingo é elucidativo).

A mudança fazer-se-há quando (TODOS) os partidos e organizações de esquerda se deixarem de olhar SÓ para o seu umbigo (digo seus interesses) e olharem para o colectivo, sem sofismas nem subterfúgios de espécie nenhuma, quando saírem do seu quintal burguês e olharem-se de frente com respeito e darem, aqui sim, um SINAL ao Povo, de que estão todos imbuídos no interesse COMUM. Enquanto isto não acontecer, continuarão os mesmos de sempre (PSD/CDS/PS) a deliciarem-se com os manjares do poder. 

Sem comentários: