a humanidade só será LIVRE, quando o último corrupto for enforcado nas tripas do derradeiro capitalista

7 de abril de 2011

FMI (1)

Agora que esta gente entregou definitivamente Portugal aos vampiros internacionais, proponho como única solução o seguinte:

- Levantamento popular em todo o país
- Saída imediata da UE
- Nacionalização da banca
- Congelamento de todas as contas bancárias de portugueses residentes, em bancos estrangeiros
- Proibição de sair do país a todos os banqueiros e capitalistas referenciados
- Referendo para o Povo decidir a forma de pagamento da dívida 

Estas seriam as primeiras medidas a tomar, já.

Se não fomos nós, Povo trabalhador, a contribuir para a presente situação, porque havemos de ser nós a pagar uma crise para o qual não contribuímos?

O sistema vale-se que o Povo acata tudo, aceita todos os sacrifícios, resigna-se à fome e à miséria, quais escravos guilhotinados a caminho do cadafalso. 
 
Não, não me vendo, não sou escravo, não me resigno, a democracia não é isto, não foi para isto que lutei toda uma vida, que vou dizer aos meus netos a propósito das dificuldades que se aproximam? E eu que sempre lhes tenho dito as misérias tenebrosas do fascismo, suas implicações na minha vida e da de milhares de compatriotas, que lhes digo agora? Quando são eles próprios a questionarem-me acerca da situação actual? Perguntando-me, então avô e agora, que vai ser do meu futuro? 

Será que estes senhores (governantes e afins) têm respostas honestas? Claro que não têm, sempre temos sido carne-para-canhão, só se lembram de nós quando chega a hora de ir votar.

E agora? Vamos ficar quietos e inertes? Eu NÃO.

2 comentários:

Pata Negra disse...

Só mais uma coisa: nacionalização do Continente e sodomização mecânica dos belmiros!
Um abraço e agitemos o copo

Zé Marreta disse...

E saque dos bancos com distribuição da riqueza pelos desempregados, precários, reformados e trabalhadores com ordenados miseráveis. Com o que sobrar pagamos a divida e ainda sobra algum para pagar o 15º mês (subsídio de Páscoa). Com os banqueiros, gestores da tanga e administradores chupistas incrementamos a agricultura e pomos operacionais os 2 milhões de hectares de terra abandonada em Portugal.

Saudações do Zé Marreta.